Famosas em boa forma. Ah, tá!

Convido vocês a lerem essa reportagem aqui.

Sempre achei o fim da picada aquelas famosas dando suas desculpas para suas “desnecesáreas” em revistas de fofoca, e queria morrer quando via na capa de alguma revista a famosa toda lindona, malhada, magérrima e trabalhando, apenas 2 meses após o nascimento do bebê (porque parto é uma coisa, cirurgia é outra).

Sei que muita gente deve estar pensando que eu sou invejosa, mas não me dá vontade de “morrer” de inveja da forma física das famosas. Não é disso que estou falando.

Também dá raiva, afinal são poucas as mulheres que voltam ao peso e ao corpo que tinham antes da gestação em curto espaço de tempo e sem esforço (não é o caso de famosas que se matam com 2 semanas de cesárea), mas conheço algumas que não fazem nada e voltam ao normal como se nada tivesse acontecido.

Mas dá raiva pois uma famosa dessas faz declarações de que dá conta de tudo e mais um pouco, assim que sai do hotel da maternidade, mas o que ela não diz é que ela não precisa fazer nada, muitas vezes diz que amamenta e tudo mais (mas eu não acredito muito, não; quem tem filho sabe que é a minoria dos bebês que mamam de 3 em 3 horas, livre demanda é o que mais acontece na realidade de quem amamenta exclusivamente), mas o que elas não falam é que não precisam cuidar de casa, de marido, de filhos, e que na verdade nem do bebê a tal famosa toma conta. Ela tem empregadas, governantas (sorte delas!), babás… Filho é status. É pra se inserir e ser aceita na sociedade.

Aí, mal saiu da cirurgia a famosa está lá, inteirona e DE VOLTA AO TRABALHO!

E a luta que nós, mulheres trabalhadoras, enfrentamos para obter a licença maternidade de 6 meses? Eu fui privilegiada pelos 6 meses, e achei pouco.

Mas tive que ouvir de várias pessoas, a maioria homens e sem filhos que, se a fulana estava pulando em cima do trio elétrico com 2 meses de operada, eu (e toda a mulherada comum) era preguiçosa, estava querendo levar vantagem, me aproveitar do empregador, e muito mais.

Entenderam o que eu reclamo.

Se a mulher cuida do bebê ou não, se nem olha na cara do filho, é problema dela e da família dela. Se ela prefere correr, malhar com personal trainer, ir pra spa, e deixar o bebê recém-nascido com a babá, não me diz respeito.

Mas depois de uma conquista tão importante (a Licença Maternidade de 6 meses), ver certas coisas me dá raiva da fulana.

Assim como a maioria das mulheres eu não tenho (e nem quero ter) babá, mas quero um tempo mínimo para poder criar vínculos com minha cria, esse é um direito conquistado muito tarde, e foi uma batalha muito dura para quem lutou por isso durante anos, não merece ser desperdiçado assim.

Acho que se a “famosa” não vai ajudar, devia ficar na dela, não atrapalhar  quem precisa de lei pra garantir seus direitos.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em licença maternidade, Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s